domingo, 10 de agosto de 2014

XIX DOMINGO DO TEMPO COMUM
(Verde, Glória, Creio – III Semana do Saltério)

Leitura (1 Reis 19,9.11-13)
Naqueles dias, 19 9 chegando ali, passou a noite numa caverna. Então a palavra do Senhor foi-lhe dirigida: "Que fazes aqui, Elias?"11 O Senhor desse-lhe: "Sai e conserva-te em cima do monte na presença do Senhor: ele vai passar". Nesse momento passou diante do Senhor um vento impetuoso e violento, que fendia as montanhas e quebrava os rochedos; mas o Senhor não estava naquele vento. Depois do vento, a terra tremeu; mas o Senhor não estava no tremor de terra.12 Passado o tremor de terra, acendeu-se um fogo; mas o Senhor não estava no fogo. Depois do fogo ouviu-se o murmúrio de uma brisa ligeira.13 Tendo Elias ouvido isso, cobriu o rosto com o manto, saiu e pôs-se à entrada da caverna.
Palavra do Senhor.
 
Salmo responsorial 84/85
Mostrai-nos, ó Senhor, vossa bondade e a vossa salvação nos concedei!
Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ele vai anunciar.
Está perto a salvação dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra.


A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão;
da terra brotará a fidelidade, e a justiça olhará dos altos céus.


O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos dará suas colheitas;
a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus.

 
Leitura (Romanos 9,1-5)
Irmãos, 91 digo a verdade em Jesus Cristo, não minto; a minha consciência me dá testemunho pelo Espírito Santo:2 sinto grande pesar, incessante amargura no coração.3 Porque eu mesmo desejaria ser reprovado, separado de Cristo, por amor de meus irmãos, que são do mesmo sangue que eu, segundo a carne.4 Eles são os israelitas; a eles foram dadas a adoção, a glória, as alianças, a lei, o culto, as promessas5 e os patriarcas; deles descende Cristo, segundo a carne, o qual é, sobre todas as coisas, Deus bendito para sempre. Amém.
Palavra do Senhor.
 
Evangelho (Mateus 14,22-33)
1422 Logo depois da multiplicação dos pães, Jesus obrigou seus discípulos a entrar na barca e a passar antes dele para a outra margem, enquanto ele despedia a multidão.23 Feito isso, subiu à montanha para orar na solidão. E, chegando a noite,estava lá sozinho.24 Entretanto, já a boa distância da margem, a barca era agitada pelas ondas, pois o vento era contrário.25 Pela quarta vigília da noite, Jesus veio a eles, caminhando sobre o mar.26 Quando os discípulos o perceberam caminhando sobre as águas, ficaram com medo: "É um fantasma!" disseram eles, soltando gritos de terror.27 Mas Jesus logo lhes disse: "Tranqüilizai-vos, sou eu. Não tenhais medo!"28 Pedro tomou a palavra e falou: "Senhor, se és tu, manda-me ir sobre as águas até junto de ti!"29 Ele disse-lhe: "Vem!" Pedro saiu da barca e caminhava sobre as águas ao encontro de Jesus.30 Mas, redobrando a violência do vento, teve medo e, começando a afundar, gritou: "Senhor, salva-me!"31 No mesmo instante, Jesus estendeu-lhe a mão, segurou-o e lhe disse: "Homem de pouca fé, por que duvidaste?"32 Apenas tinham subido para a barca, o vento cessou.33 Então aqueles que estavam na barca prostraram-se diante dele e disseram: "Tu és verdadeiramente o Filho de Deus".
Palavra da Salvação.

 

Nenhum comentário: