domingo, 19 de fevereiro de 2012

Primeira Leitura: Isaías 43, 18-19.21-22.24-25

VII DO TEMPO COMUM


Assim fala o Senhor: 18Não vos lembreis mais dos acontecimentos de outrora, não recordeis mais as coisas antigas,19porque eis que vou fazer obra nova, a qual já surge: não a vedes? Vou abrir uma via pelo deserto, e fazer correr arroios pela estepe. 21o povo, que formei para mim, contará meus feitos. 22No entanto, não foste tu que me chamaste, Jacó, tu não te fatigaste por mim, Israel. 24Não me compraste, a preço alto, cana perfumada, nem me fartaste com a gordura das vítimas. Mas me atormentaste com teus pecados, cansaste-me com tuas iniqüidades.25Sempre sou eu quem deve apagar tuas faltas, e não mais me lembrar de teus pecados.


Salmo Responsorial(40)


REFRÃO: Curai-me, Senhor, pois pequei contra vós!

1. Feliz quem se lembra do necessitado e do pobre, porque no dia da desgraça o Senhor o salvará. O Senhor há de guardá-lo e o conservará vivo, há de torná-lo feliz na terra e não o abandonará à mercê de seus inimigos. - R.

2. O Senhor o assistirá no leito de dores, e na sua doença o reconfortará. Quanto a mim, eu vos digo: Piedade para mim, Senhor; sarai-me, porque pequei contra vós. - R.

3. Vós, porém, me conservareis incólume, e na vossa presença me poreis para sempre. Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, de eternidade em eternidade! Assim seja! Assim seja! - R.


Segunda Leitura: 1º Coríntios 1, 18-22


Irmãos, 18A linguagem da cruz é loucura para os que se perdem, mas, para os que foram salvos, para nós, é uma força divina. 19Está escrito: Destruirei a sabedoria dos sábios, e anularei a prudência dos prudentes (Is 29,14). 20Onde está o sábio? Onde o erudito? Onde o argumentador deste mundo? Acaso não declarou Deus por loucura a sabedoria deste mundo? 21Já que o mundo, com a sua sabedoria, não reconheceu a Deus na sabedoria divina, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura de sua mensagem. 22Os judeus pedem milagres, os gregos reclamam a sabedoria;


Evangelho: Marcos 2, 1-12


Naquele tempo,1Alguns dias depois, Jesus entrou novamente em Cafarnaum e souberam que ele estava em casa. 2Reuniu-se uma tal multidão, que não podiam encontrar lugar nem mesmo junto à porta. E ele os instruía. 3Trouxeram-lhe um paralítico, carregado por quatro homens. 4Como não pudessem apresentar-lho por causa da multidão, descobriram o teto por cima do lugar onde Jesus se achava e, por uma abertura, desceram o leito em que jazia o paralítico.5Jesus, vendo-lhes a fé, disse ao paralítico: "Filho, perdoados te são os pecados." 6Ora, estavam ali sentados alguns escribas, que diziam uns aos outros: 7"Como pode este homem falar assim? Ele blasfema. Quem pode perdoar pecados senão Deus?" 8Mas Jesus, penetrando logo com seu espírito nos seus íntimos pensamentos, disse-lhes: "Por que pensais isto nos vossos corações? 9Que é mais fácil dizer ao paralítico: Os pecados te são perdoados, ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito e anda? 10Ora, para que conheçais o poder concedido ao Filho do homem sobre a terra (disse ao paralítico), 11eu te ordeno: levanta-te, toma o teu leito e vai para casa." 12No mesmo instante, ele se levantou e, tomando o leito, foi-se embora à vista de todos. A, multidão inteira encheu-se de profunda admiração e puseram-se a louvar a Deus, dizendo: "Nunca vimos coisa semelhante."

Nenhum comentário: