quinta-feira, 17 de junho de 2010

Primeira Leitura: Eclesiástico 48, 1-15

Naqueles dias, 1Suas palavras queimavam como uma tocha ardente. Elias, o profeta, levantou-se em breve como um fogo. 2Ele fez vir a fome sobre o povo (de Israel): foram reduzidos a um punhado por tê-lo irritado com sua inveja, pois não podiam suportar os preceitos do Senhor. 3Com a palavra do Senhor ele fechou o céu, e dele fez cair fogo por três vezes. 4Quão glorioso te tornaste, Elias, por teus prodígios! Quem pode gloriar-se de ser como tu? 5Tu que fizeste sair um morto do seio da morte, e o arrancaste da região dos mortos pela palavra do Senhor; 6tu que lançaste os reis na ruína, que desfizeste sem dificuldade o seu poder, que fizeste cair de seu leito homens gloriosos. 7Tu que ouviste no Sinai o julgamento do Senhor, e no monte Horeb os decretos de sua vingança. 8Tu que sagraste reis para a penitência, e estabeleceste profetas para te sucederem. 9Tu que foste arrebatado num turbilhão de fogo, num carro puxado por cavalos ardentes. 10Tu que foste escolhido pelos decretos dos tempos para amenizar a cólera do Senhor, reconciliar os corações dos pais com os filhos, e restabelecer as tribos de Jacó. 11Bem-aventurados os que te conheceram, e foram honrados com a tua amizade! 12Pois, quanto a nós, só vivemos durante esta vida, e depois da morte, nem mesmo nosso nome nos sobreviverá. 13Elias foi então arrebatado em um turbilhão, mas seu espírito permaneceu em Eliseu. Nunca em sua vida teve Eliseu medo de um príncipe; ninguém o dominou pelo poder. 14Nada houve que o pudesse vencer: seu corpo, mesmo depois da morte, fez profecias. 15Durante a vida fez prodígios, depois da morte fez milagres.

Salmo Responsorial(96)

REFRÃO: Ó justos, alegrai-vos no Senhor!

1. Deus é rei! Exulte a terra de alegria, / a as ilhas numerosas rejubilem! / Treva e nuvem o rodeiam no seu trono, / que se apoia na justiça e no direito. -R.

2. Vai um fogo caminhando à sua frente / e devora ao redor seus inimigos. / Seus relâmpagos clareiam toda a terra; / toda a terra, ao contemplá-los, estremece. -R.

3. As montanhas se derretem como cera / ante a face do Senhor de toda a terra; / e asim proclama o céu sua justiça, / todos os povos podem ver a sua glória. -R.

4. "Os que adoram as estátuas se envergonhem e os que põem a sua glória nos seus ídolos; / aos pés de Deus vêm se prostar todos os deuses!" -R.


Evangelho: Mateus 6, 7-15


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7Nas vossas orações, não multipliqueis as palavras, como fazem os pagãos que julgam que serão ouvidos à força de palavras. 8Não os imiteis, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes que vós lho peçais. 9Eis como deveis rezar: PAI NOSSO, que estais no céu, santificado seja o vosso nome; 10venha a nós o vosso Reino; seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. 11O pão nosso de cada dia nos dai hoje; 12perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aos que nos ofenderam; 13e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. 14Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, vosso Pai celeste também vos perdoará. 15Mas se não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai vos perdoará.

Nenhum comentário: