domingo, 13 de novembro de 2011

Primeira Leitura: Provérbios 31, 10-13.19-20.30-31

XXXII DO TEMPO COMUM


10Uma mulher virtuosa, quem pode encontrá-la? Superior ao das pérolas é o seu valor. 11Confia nela o coração de seu marido, e jamais lhe faltará coisa alguma. 12Ela lhe proporciona o bem, nunca o mal, em todos os dias de sua vida. 13Ela procura lã e linho e trabalha com mão alegre. 19Põe a mão na roca, seus dedos manejam o fuso.20Estende os braços ao infeliz e abre a mão ao indigente. 30A graça é enganadora e a beleza é vã; a mulher inteligente é a que se deve louvar.31Dai-lhe o fruto de suas mãos e que suas obras a louvem nas portas da cidade.


Salmo Responsorial(127)


REFRÃO: Felizes os que temem o Senhor e trilham seus caminhos!

1. Cântico das peregrinações. Felizes os que temem o Senhor, os que andam em seus caminhos. Poderás viver, então, do trabalho de tuas mãos, serás feliz e terás bem-estar. - R.

2. Tua mulher será em teu lar como uma vinha fecunda. Teus filhos em torno à tua mesa serão como brotos de oliveira. - R.

3. Assim será abençoado aquele que teme o Senhor. De Sião te abençoe o Senhor para que em todos os dias de tua vida gozes da prosperidade de Jerusalém, - R.


Segunda Leitura: 1º Tessalonicenses 5, 1-6


1A respeito da época e do momento, não há necessidade, irmãos, de que vos escrevamos.2Pois vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como um ladrão de noite. 3Quando os homens disserem: Paz e segurança!, então repentinamente lhes sobrevirá a destruição, como as dores à mulher grávida. E não escaparão. 4Mas vós, irmãos, não estais em trevas, de modo que esse dia vos surpreenda como um ladrão. 5Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia. Não somos da noite nem das trevas. 6Não durmamos, pois, como os demais. Mas vigiemos e sejamos sóbrios.


Evangelho: Mateus 25, 14-30


Naquele tempo,14Será também como um homem que, tendo de viajar, reuniu seus servos e lhes confiou seus bens. 15A um deu cinco talentos; a outro, dois; e a outro, um, segundo a capacidade de cada um. Depois partiu. 16Logo em seguida, o que recebeu cinco talentos negociou com eles; fê-los produzir, e ganhou outros cinco. 17Do mesmo modo, o que recebeu dois, ganhou outros dois.18Mas, o que recebeu apenas um, foi cavar a terra e escondeu o dinheiro de seu senhor. 19Muito tempo depois, o senhor daqueles servos voltou e pediu-lhes contas. 20O que recebeu cinco talentos, aproximou-se e apresentou outros cinco: - Senhor, disse-lhe, confiaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco que ganhei. 21Disse-lhe seu senhor: - Muito bem, servo bom e fiel; já que foste fiel no pouco, eu te confiarei muito. Vem regozijar-te com teu senhor. 22O que recebeu dois talentos, adiantou-se também e disse: - Senhor, confiaste-me dois talentos; eis aqui os dois outros que lucrei.23Disse-lhe seu senhor: - Muito bem, servo bom e fiel; já que foste fiel no pouco, eu te confiarei muito. Vem regozijar-te com teu senhor. 24Veio, por fim, o que recebeu só um talento: - Senhor, disse-lhe, sabia que és um homem duro, que colhes onde não semeaste e recolhes onde não espalhaste.25Por isso, tive medo e fui esconder teu talento na terra. Eis aqui, toma o que te pertence. 26Respondeu-lhe seu senhor: - Servo mau e preguiçoso! Sabias que colho onde não semeei e que recolho onde não espalhei. 27Devias, pois, levar meu dinheiro ao banco e, à minha volta, eu receberia com os juros o que é meu. 28Tirai-lhe este talento e dai-o ao que tem dez. 29Dar-se-á ao que tem e terá em abundância. Mas ao que não tem, tirar-se-á mesmo aquilo que julga ter. 30E a esse servo inútil, jogai-o nas trevas exteriores; ali haverá choro e ranger de dentes.

Nenhum comentário: