quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

III SEMANA COMUM
 Primeira Leitura: Hebreus 10, 11-18

Leitura da carta aos Hebreus - 11Enquanto todo sacerdote se ocupa diariamente com o seu ministério e repete inúmeras vezes os mesmos sacrifícios que, todavia, não conseguem apagar os pecados, 12Cristo ofereceu pelos pecados um único sacrifício e logo em seguida tomou lugar para sempre à direita de Deus, 13onde espera de ora em diante que os seus inimigos sejam postos por escabelo dos seus pés (Sl 109,1). 14Por uma só oblação ele realizou a perfeição definitiva daqueles que recebem a santificação. 15É o que nos confirma o testemunho do Espírito Santo. Depois de ter dito: 16Eis a aliança que, depois daqueles dias, farei com eles - oráculo do Senhor: imprimirei as minhas leis nos seus corações e as escreverei no seu espírito, 17acrescenta: dos seus pecados e das suas iniquidades já não mais me lembrarei (Jr 31,33s). 18Ora, onde houve plena remissão dos pecados não há por que oferecer sacrifício por eles. - Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial(109)

REFRÃO:  Tu és eternamente sacerdote segundo a ordem do rei Melquisedeque!
1. Palavra do Senhor ao meu Senhor: / 'Assenta-te ao lado meu direito / até que eu ponha os inimigos teus / como escabelo por debaixo de teus pés!' -R.2. O Senhor estenderá desde Sião / vosso cetro de poder, pois Ele diz: / 'Domina com vigor teus inimigos; -R
3.
tu és príncipe desde o dia em que nasceste;  / na glória e esplendor da santidade,/ como o orvalho, antes da aurora, eu te gerei!' -R.4. Jurou o Senhor e manterá sua palavra: / 'Tu és sacerdote eternamente, / segundo a ordem do rei Melquisedec!' -R.

Evangelho: Marcos 4, 1-20

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos - Naquele tempo, 1Jesus pôs-se novamente a ensinar, à beira do mar, e aglomerou-se junto dele tão grande multidão, que ele teve de entrar numa barca, no mar, e toda a multidão ficou em terra na praia. 2E ensinava-lhes muitas coisas em parábolas. Dizia-lhes na sua doutrina: 3Ouvi: Saiu o semeador a semear. 4Enquanto lançava a semente, uma parte caiu à beira do caminho, e vieram as aves e a comeram. 5Outra parte caiu no pedregulho, onde não havia muita terra; o grão germinou logo, porque a terra não era profunda; 6mas, assim que o sol despontou, queimou-se e, como não tivesse raiz, secou. 7Outra parte caiu entre os espinhos; estes cresceram, sufocaram-na e o grão não deu fruto. 8Outra caiu em terra boa e deu fruto, cresceu e desenvolveu-se; um grão rendeu trinta, outro sessenta e outro cem. 9E dizia: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça! 10Quando se acharam a sós, os que o cercavam e os Doze indagaram dele 11Ele disse-lhes: A vós é revelado o mistério do Reino de Deus, mas aos que são de fora tudo se lhes propõe em parábolas. 12Desse modo, eles olham sem ver, escutam sem compreender, sem que se convertam e lhes seja perdoado. 13E acrescentou: Não entendeis essa parábola? Como entendereis então todas as outras? 14O semeador semeia a palavra. 15Alguns se encontram à beira do caminho, onde ela é semeada; apenas a ouvem, vem Satanás tirar a palavra neles semeada. 16Outros recebem a semente em lugares pedregosos; quando a ouvem, recebem-na com alegria; 17mas não têm raiz em si, são inconstantes, e assim que se levanta uma tribulação ou uma perseguição por causa da palavra, eles tropeçam. 18Outros ainda recebem a semente entre os espinhos; ouvem a palavra, 19mas as preocupações mundanas, a ilusão das riquezas, as múltiplas cobiças sufocam-na e a tornam infrutífera. 20Aqueles que recebem a semente em terra boa escutam a palavra, acolhem-na e dão fruto, trinta, sessenta e cem por um. - Palavra da salvação.

Nenhum comentário: