sábado, junho 01, 2013

SÃO JUSTINO, MÁRTIR
Primeira Leitura: Eclesiástico 51, 17-27
Leitura do livro do Eclesiástico - 17Eis por que eu vos glorificarei e cantarei vossos louvores e bendirei o nome do Senhor. 18Quando eu era ainda jovem, antes de ter viajado, busquei abertamente a sabedoria na oração: 19pedi-a a Deus no templo, e buscá-la-ei até o fim de minha vida. Ela floresceu como uma videira precoce 20e meu coração alegrou-se nela. Meus pés andaram por caminho reto: desde a minha juventude tenho procurado encontrá-la.21Apliquei um pouco o meu ouvido e logo a recolhi. 22Encontrei em mim mesmo muita sabedoria, e nela fiz grande progresso. 23Tributarei glória àquele que ma deu, 24pois resolvi pô-la em prática; fui zeloso no bem e não serei confundido. 25Lutou minha alma para atingi-la, robusteci-me, pondo-a em prática. 26Levantei minhas mãos para o alto, e deplorei o erro do meu espírito. 27Conduzi minha alma para ela, e encontrei-a, ao procurar conhecê-la. - Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial(18)
REFRÃO: Os ensinos do Senhor são sempre retos, alegria ao coração.
1. A lei do Senhor Deus é perfeita, conforto para a alma! O testemunho do Senhor é fiel, sabedoria dos humildes. -R.
2.
 Os preceitos do Senhor são precisos, alegria ao coração. O mandamento do Senhor é brilhante, para os olhos é uma luz. -R.
3.
 É puro o temor do Senhor, imutável para sempre. Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente. -R.
4. 
Mais desejáveis do que o ouro são eles, do que o ouro refinado. Suas palavras são mais doces que o mel, que o mel que sai dos favos -R.

Evangelho: Marcos 11, 27-33


Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos - Naquele tempo,27Jesus e seus discípulos voltaram outra vez a Jerusalém. E andando Jesus pelo templo, acercaram-se dele os príncipes dos sacerdotes, os escribas e os anciãos, 28e perguntaram-lhe: "Com que direito fazes isto? Quem te deu autoridade para fazer essas coisas?" 29Jesus respondeu-lhes: "Também eu vos farei uma pergunta; respondei-ma, e dir-vos-ei com que direito faço essas coisas. 30O batismo de João vinha do céu ou dos homens? Respondei-me." 31E discorriam lá consigo: "Se dissermos: Do céu, ele dirá: Por que razão, pois, não crestes nele? 32Se, ao contrário, dissermos: Dos homens, tememos o povo." Com efeito, tinham medo do povo, porque todos julgavam ser João deveras um profeta. 33Responderam a Jesus: "Não o sabemos." "E eu tampouco vos direi, disse Jesus, com que direito faço estas coisas." - Palavra da salvação.