quarta-feira, dezembro 21, 2011

Primeira Leitura: Cântico dos Cânticos 2, 8-14

IV SEMANA DO ADVENTO


8- Oh, esta é a voz do meu amado! Ei-lo que aí vem, saltando sobre os montes, pulando sobre as colinas. 9Meu amado é como a gazela e como um cervozinho. Ei-lo atrás de nossa parede. Olho pela janela, espreito pelas grades. 10Meu bem-amado disse-me: Levanta-te, minha amiga, vem, formosa minha. 11Eis que o inverno passou, cessaram e desapareceram as chuvas. 12Apareceram as flores na nossa terra, voltou o tempo das canções. Em nossas terras já se ouve a voz da rola.13A figueira já começa a dar os seus figos, e a vinha em flor exala o seu perfume; levanta-te, minha amada, formosa minha, e vem. 14Minha pomba, oculta nas fendas do rochedo, e nos abrigos das rochas escarpadas, mostra-me o teu rosto, faze-me ouvir a tua voz. Tua voz é tão doce, e delicado teu rosto!


Salmo Responsorial(32)


REFRÃO: Ó justo, alegrai-vos no Senhor! / Cantai para o Senhor um canto novo!

1. Celebrai o Senhor com a cítara, entoai-lhe hinos na harpa de dez cordas. Cantai-lhe um cântico novo, acompanhado de instrumentos de música, - R.

2. Só os desígnios do Senhor permanecem eternamente e os pensamentos de seu coração por todas as gerações. Feliz a nação que tem o Senhor por seu Deus, e o povo que ele escolheu para sua herança. - R.

3. Nossa alma espera no Senhor, porque ele é nosso amparo e nosso escudo. Nele, pois, se alegra o nosso coração, em seu santo nome confiamos. - R.



Evangelho: Lucas 1, 39-45


Naquele tempo,39Naqueles dias, Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá. 40Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. 41Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. 43Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? 44Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio. 45Bem-aventurada és tu que creste, pois se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas!

Santo do Dia

São Pedro Canísio

São Pedro Kanijs, nasceu em Nimega, Holanda, no ano 1521. Filho do prefeito de Nimega, Pedro Kanijs, em Latim Canisius, teve a responsabilidade de freqüentar ótimas escolaras, Direito canônico em Lovaina e Direito civil em Colônia. Nesta cidade gostava de pessar o tempo livre no mosteiro dos Cartuxos. Ninguém suspeitava queo jovem advogado, a quem o pai havia garantido bom encaminhamento na profissão, sob as ricas roupas carregasse o cilício. A leitura do breve livro dos Exercícios espirituais de Santo Inácio de Loyola determinou uma reviravolta decisiva em sua vida: cumprida a piedosa prática em Mogúncia sob a direção do padre Faber, entrou na Companhia de Jesus, e foi o oitavo que emitiu votos solenes. Na jovem Ordem teve oportunidade de cultivar os seus estudos preferidos e o seu amor pela erudição. A ele se deve a publicação das obras de São Cirilo de Alexandria, de São Leão Magno, de São Jerônimo e de Ósio de Córdoba.

O apelido arranjado para este santo martelo dos hereges é totalmente impróprio, pois pode ser definido como um ferro entre a bigorna e o martelo, isto é, alvo da irritação que a sua pregação suscitava nos ambientes protestantes, e da malevolência e inveja de seus próprios companheiros de religião. Viveu em pleno cliema de reforma e de contra-reforma. Tomou parte ativa no concílio de Trento, como teólogo do cardeal Truchsess e conselheiro do papa. Distinguiu-se por sua cultura teológica, pelo zelo e operosidade, mas também pelo espírito pacífico, conciliador. Santo Inácio chamou-o a Itália e mandou-o à Sicília para aí fundar o primeiro dos renomados colégios, depois Bolonha e mais tarde Alemanha onde permaneceu por 30 anos na qualidade de superior provincial. Teve o merecido epíteto de segundo apóstolo da Alemanha (o primeiro foi são Bonifácio).

São Pedro Canísio morreu a 21 de Dezembro de 1597, em Friburgo, na Suíça. Teve as honras dos altares e o título de doutor da Igreja em 1925.