terça-feira, janeiro 18, 2011


Primeira Leitura: Hebreus 6, 10-20


Irmãos, 10Deus não é injusto e não esquecerá vossas obras e a caridade que mostrastes por amor de seu nome, vós que servistes e continuais a servir os santos. 11Desejamos, apenas, que ponhais todo o empenho em guardar intata a vossa esperança até o fim, 12e que, longe de vos tornardes negligentes, sejais imitadores daqueles que pela fé e paciência se tornam herdeiros das promessas. 13Quando Deus fez a promessa a Abraão, como não houvesse ninguém maior por quem jurar, jurou por si mesmo, 14dizendo: Em verdade eu te abençoarei, e multiplicarei a tua posteridade (Gn 22,16s). 15E Abraão, esperando com paciência, alcançou a realização da promessa. 16Os homens, com efeito, juram por quem é maior do que eles, e o juramento serve de garantia e põe fim a toda controvérsia. 17Por isso, querendo Deus mostrar mais seguramente aos herdeiros da promessa a imutabilidade da sua resolução, interpôs o juramento. 18Por este ato duplamente irrevogável, pelo qual o próprio Deus se proibia de desdizer-se, encontramos motivo de profunda consolação, nós que pusemos nossa perspectiva em alcançar a esperança proposta.19Esperança esta que seguramos qual âncora de nossa alma, firme e sólida, e que penetra até além do véu, no santuário 20onde Jesus entrou por nós como precursor, Pontífice eterno, segundo a ordem de Melquisedec.

Salmo Responsorial(110)


REFRÃO: O Senhor se lembra sempre da Aliança.
ou Aleluia, aleluia, aleluia.

1. Louvarei o Senhor de todo o coração, na assembléia dos justos e em seu conselho. Grandes são as obras do Senhor, dignas de admiração de todos os que as amam. - R.

2. Memoráveis são suas obras maravilhosas; o Senhor é clemente e misericordioso. Aos que o temem deu-lhes o sustento; lembrar-se-á eternamente da sua aliança. - R.

3. Enviou a seu povo a redenção, concluiu com ele uma aliança eterna. Santo e venerável é o seu nome. O temor do Senhor é o começo da sabedoria; sábios são aqueles que o adoram. Sua glória subsiste eternamente. - R.


Evangelho: Marcos 2, 23-28


23Num dia de sábado, o Senhor caminhava pelos campos e seus discípulos, andando, começaram a colher espigas. 24Os fariseus observaram-lhe: "Vede! Por que fazem eles no sábado o que não é permitido?" Jesus respondeu-lhes:25"Nunca lestes o que fez Davi, quando se achou em necessidade e teve fome, ele e os seus companheiros? 26Ele entrou na casa de Deus, sendo Abiatar príncipe dos sacerdotes, e comeu os pães da proposição, dos quais só aos sacerdotes era permitido comer, e os deu aos seus companheiros." 27E dizia-lhes: "O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado;28e, para dizer tudo, o Filho do homem é senhor também do sábado."